sábado, 19 de julho de 2014

Mudança no comando da 5ª Companhia da PM - Coaraci


“Oficial zeloso, leal, dedicado e interessado no bom andamento do serviço”, foram qualidades destacadas pelo comandante do 15° Batalhão da Polícia Militar, Tenente Coronel Ubiraci Barbosa da Silva, ao se referir do Capitão da Polícia Militar Welligton Cirilo Costa, na tarde desta sexta-feira (18) durante passagem de comando da 5° Companhia situada na cidade de Coaraci. Unidade Militar responsável pelo policiamento das cidades de Coaraci, Itajuípe, Itapitanga e Almadina.
O Capitão Cirilo comandou a unidade durante quatro anos e neste período desempenhou um bom serviço à comunidade, com precisão e responsabilidade , tendo conquistado o respeito e a admiração de seus subordinados, pares e superiores, além da sociedade local que se fez presente na cerimônia.
O comandante que assume a 5ª Cia é o Capitão PM Gilvan dos Santos, o jovem oficial que já pertencia ao quadro do 15° Batalhão e que agora com o aval e confiança do Tenente Coronel Ubiraci desempenhará a missão de manter a qualidade operacional existente na unidade e oferecer cada vez mais uma segurança de qualidade.
Na oportunidade, o comandante do 15° BPM reconheceu também os bons serviços prestados pelos policiais militares pertencentes a unidade, durante os festejos juninos de 2014, entregando aos policiais certificados. Assim como premiou com carga fixa de material bélico, pistola .40 e munição, a 11 policiais que se sobressaíram no combate ao crime no 1° Semestre de 2014, ao contabilizar o número de armas e drogas aprendidas, carros recuperados e criminosos conduzidos a delegacia.
Tanto a passagem de comando de companhia dependente, como a premiação com carga fixa, são iniciativas positivas implementadas pelo Tenente Coronel Ubiraci no comando do 15° Batalhão. O objetivo maior destas atividades é reconhecer o trabalho do Policial Militar e estimular ações que visem as melhorias para a segurança pública.

terça-feira, 15 de julho de 2014

TJ-BA oferece 1,3 mil vagas de estágio para nível médio e superior

A partir de quarta-feira (16) estudantes podem se inscrever para concorrer a 1,3 mil vagas de estágio oferecidas pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). São 200 oportunidades para o nível médio e 1,1 mil para nível superior para os cursos de Direito, Administração, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Tecnologia da Informação, Psicologia, Arquitetura, Enfermagem e Serviço Social.
O edital do processo seletivo foi publicado na edição de segunda-feira (14) do Diário da Justiça Eletrônico. O documento está disponível no site do TJ-BA. As inscrições começam às 16h de quarta-feira e devem ser feitas exclusivamente pela internet até o dia 31 de julho, no portal da organizadora.
A taxa de inscrições para candidatos de nível médio é de R$ 9 e de nível superior R$ 15. Os estudantes podem fazer a solicitação de isenção do pagamento. Segundo o Tribunal de Justiça, 5% das vagas são asseguradas aos portadores de deficiência. No caso dos candidatos para as vagas de nível superior, eles devem ter concluído 50% da grade curricular dos cursos.
Os candidatos irão realizar prova escrita no dia 17 de agosto e a divulgação dos resultados está prevista para o dia 29 de agosto. Os estudantes de nível superior vão atuar em comarcas da capital baiana e interior do estado no atendimento judiciário e movimento dos processos nas secretarias judiciais. As vagas de nível médio são exclusivamente para a capital.

Sumiço de aparelhos no Hospital de Base ganha novos desdobramentos

Hospital de Base recebeu equipamentos em abril de 2013 - Foto Pedro Augustosite
O sumiço ainda não explicado de três respiradores no Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, acaba de ganhar novos desdobramentos. No último sábado (5), o médico Edson Dantas reacendeu a polêmica sobre o fato de a Fundação Hospitalar de Camacan ter aparelhos semelhantes, algo constatado meses atrás, durante visita feita por vereadores itabunenses.
Tanto em entrevista à Rádio Difusora como ao Diário Bahia, Dantas lembrou que os respiradores desapareceram num momento em que as câmeras foram desligadas. Citando a presença de aparelhos desse tipo em Camacan, afirmou que o diretor do hospital daquela cidade, dr. Almir Gonçalves, já geriu o "Base" e até hoje teria a chave de lá. "O principal suspeito é ele. Pra mim, é óbvio que os respiradores – que, juntos, pesam 240 quilos – foram levados por um médico, enfermeiro, alguém que conhece o funcionamento do Hospital de Base. Mas a polícia insiste em não achar", acusou.
Outro lado
Em contrapartida, os médicos Mardson Silva e Almir Gonçalves, respectivamente, gestor e diretor da Fundação de Camacan, enviaram Nota de Esclarecimento à redação do Diário Bahia, para responder às acusações feitas por Edson Dantas.
Para Silva, que classifica a denúncia constrangedora e exclusivamente política, "não há qualquer fundamento na acusação, visto que as dependências da instituição sempre estiveram e estão à disposição da Justiça para revista".
Por fim, ele repudiou veementemente a insinuação "em nome do bom andamento da saúde da região, que carece de um bom funcionamento e entendimento entre as instituições envolvidas".
Dr. Almir, por sua vez, informou que já tomou todas as medidas judiciais cabíveis, ao contratar o advogado Marcos Alpoim. "Lamento a atuação e insanidade do referido profissional de medicina; lamento estar envolvido numa acusação sem fundamento, ao tempo em que acredito tratar-se de oportunidade política", assinalou.
Prejuízo sem culpados
Os três respiradores artificiais, cada um avaliado em R$ 45 mil, chegaram ao Hospital de Base em abril de 2013 e desapareceram de uma sala próxima ao setor de emergência, no início de março deste ano. A ausência só teria sido notada dias depois e uma queixa à polícia foi prestada depois de investigação interna sem êxito.
De acordo com o diretor da unidade, dr. Paulo Bicalho, a ausência dos três respiradores causa risco à saúde dos pacientes. Desde o suposto furto, os nove aparelhos que sobraram são usados diariamente. Vale lembrar que se trata do maior hospital da rede pública do sul da Bahia, já que atende a cerca de seis mil pessoas por mês no pronto socorro.

Arma do segurança de Silvanno Salles dispara dentro do aeroporto de Conquista

A noite de domingo (13) foi de pânico no Aeroporto Pedro Otacílio Figueiredo, em Vitória da Conquista, após um disparo acidental do revólver do segurança do cantor Silvano Sales, deixando uma perfuração no piso da sala de espera. 

Segundo o blog o Anderson, o empresário do artista, José Alves, confirmou o incidente e informou que arma está devidamente cadastrada para o uso. 

Por volta das 22 horas o grupo deixou o aeroporto no ônibus oficial de Silvano Sales. As Polícias Militar e Federal registraram a ocorrência. Com informações do Blog do Anderson

Jovem tentar cometer suicídio e PM faz com que ele desista de se jogar em rio

João Alves da Silva, 23 anos, tentou cometer suicídio na cidade de Itabuna na tarde desta segunda-feira (14). O jovem atravessou a grade de proteção do rio e ameaçava se jogar.

Policiais Militares foram acionados  e conversaram bastante com o jovem fazendo com que ele desistisse da ideia. O SAMU foi acionado e João foi encaminhado ao hospital.

Traficante preso confessa morte de delegado e PM

O acusado teria usado a arma do delegado morto para assassinar o PM (foto:Divulgação/SSP-Ba)A pistola ponto 40, utilizada pelo traficante Roque Soares de Melo Filho, o "Galego", 30 anos, para assassinar o soldado PM Hamílton Gomes de Jesus, no dia 24 de maio, no bairro Tancredo Neves, fora roubada do delegado Eduardo Rafael de Santana Lima, 35, também assassinado pelo traficante e mais três comparsas, em novembro de 2012, no Barbalho.
Depois de prender o criminoso, na quinta-feira (10) passada, na Avenida Paralela, a polícia apreendeu a arma na residência da irmã de Galego, no Alto do Cabrito, no subúrbio ferroviário.
Equipes da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), da Rondesp/Central, da Operação Apolo, da 23ª Companhia Independente de Polícia Militar (Tancredo Neves) e do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual montaram diversas barreiras para capturar o bandido na Paralela, onde ele havia marcado um encontro com a companheira.
Conduzindo uma motocicleta Honda Bros, de cor preta, placa OUZ 4980, o traficante foi interceptado e encaminhado à DHM, no prédio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Pituba, segundo declarou o titular da DHM, delegado Odair Carneiro.
Galego chegou a apresentar um documento de identificação falso, com o nome de Uélton Melo da Silva, só revelando a verdadeira identidade, quando os policiais o reconhecerem como um dos autores do homicídio do soldado Hamilton. Foragido da Cadeia Pública de Ibicuí, confessou participação na morte do PM e também do delegado Eduardo Rafael, lotado na Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV).
Confronto
No interrogatório, também revelou os esconderijos de outros envolvidos nestes homicídios. Os policiais foram até a localidade de Jauá, em Camaçari, no Litoral Norte, havendo ali uma troca de tiros com um grupo de traficantes, onde morreu Juélton Reis dos Santos, o "Louko". No Alto do Cabrito, ocorreu novo confronto e um traficante conhecido como "Chinha" foi alvejado e também faleceu.
Na casa ocupada por Louko, foram encontrados um revólver calibre 38 (com numeração raspada) municiado, um tablete de cocaína, duas pedras grandes e 17 pequenas de crack, oito porções de maconha, 56 pinos de cocaína, uma balança, embalagens para acondicionar drogas e três celulares.
"Além de Galego, também Louko e Chinha tiveram participações confirmadas nas mortes do delegado Eduardo Rafael e do soldado Hamilton Rafael", assegurou o titular da DHM, acrescentando que um quarto participante do assassinato do delegado teria sido executado, ainda naquela ocasião, por traficantes da região onde ele residia.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Força Nacional volta hoje a controlar zona de conflito no Sul da Bahia

O comando das operações policiais nas áreas de conflito entre indígenas e produtores rurais, no Sul da Bahia, a partir de hoje voltam para a Força Nacional e a Secretaria da Segurança Pública representada pela Policia Militar. A decisão tomada após reunião do Governo do Estado e o Ministério da Justiça e o efetivo reforçado. 

O Exército assumiu em março o policiamento nos municípios de Buerarema, Una e Ilhéus (Olivença), após o pedido de aplicação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO). A solicitação foi do governador Jaques Wagner ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. De acordo com a assessoria de comunicação da SSP, a Força Nacional, que já disponibilizava um pelotão nas regiões de conflito, irá incorporar mais um grupamento de policiais e reforço logístico. 

O efetivo da PM naqueles municípios foi reforçado, principalmente na zona rural, região de atuação das Forças Armadas durante a GLO. No final de semana os policiais iniciaram o período de transição. A partir desta segunda-feira, 14, o Exercito deixa a região e a responsabilidade é da PM definitivamente. Um grupo de 130 militares estará distribuído em regime de plantão, no 15º Batalhão e na Companhia Independente de Policiamento Especializado/Cacaueira, ambos sediados em Buerarema. 

Também atenderão e 69ª Companhia Independente da Polícia Militar e no Comando de Policiamento Regional Sul, em Olivença, distrito de Ilhéus; e, a 71ª CIPM, em Una, reforçando o efetivo já disponível na região. Antes da aplicação da GLO, há quatro meses, numa reunião com representantes do Ministério da Justiça, das Forças Armadas, e das polícias Militar, Civil e Técnica, o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, já tinha o aumento do efetivo policial empregado na região, diante do aumento dos conflitos pela posse de terra.

Previdência Estadual realiza Balcão Previdenciário em doze cidades do interior

Previdência Estadual realiza Balcão Previdenciário em doze cidades do interiorO Balcão Previdenciário - iniciativa da Previdência Estadual (Suprev), unidade vinculada à Secretaria da Administração (Saeb) – estará, a partir do mês de julho, em 12 cidades do interior da Bahia: Teixeira de Freitas, Eunápolis, Guanambi, Serrinha, Jacobina, Senhor do Bonfim, Itabuna, Itapetinga, Itaberaba, Irecê, Ibotirama e Seabra. O balcão tem objetivo de esclarecer temas e tirar dúvidas sobre a previdência para servidores ativos, civis e militares. 
 
Com três anos de criação, os resultados da atuação do Balcão Previdenciário estão sendo positivos. Até o momento, 3.748 servidores foram atendidos e 6.396 serviços prestados ao longo das visitas realizadas nas 62 unidades da administração direta e indireta (capital e interior). 
 
Daniella Gomes, superintendente da Suprev, aponta que o projeto vem conseguindo sensibilizar os servidores para as questões previdenciárias. “Com a interiorização do balcão, a Suprev cumpre a meta de alcançar mais servidores e, com isso, materializarmos as diretrizes governamentais de valorização do servidor e disseminação da cultura previdenciária no estado”, afirma Daniella.
 
Segundo o calendário divulgado pela Previdência, as primeiras cidades a receberem o balcão serão Teixeira de Freitas e Eunápolis nos dias 22 e 23 de julho.  O serviço segue em Guanambi, dia 12 de agosto; em Serrinha, Jacobina e Senhor do Bonfim nos dias 16, 17 e 18 de setembro; Itabuna e Itapetinga nos dias 07 e 08 de outubro. Por fim, entre os dias 21 e 24 de outubro, será a vez de Itaberaba, Irecê, Ibotirama e Seabra. Os atendimentos serão realizados nas Diretorias de Educação (Direcs) e Diretorias de Saúde (Dires).
 
Entre os serviços oferecidos pelo balcão estão esclarecimentos sobre descontos previdenciários aos fundos Funprev e Baprev, informação sobre aposentadorias, pensões e auxílios-reclusão, simulador de aposentadoria, tramitação de processos, recolhimento de contribuição previdenciária de servidores à disposição, averbação de tempo de serviço e abono de permanência – cabimento.
 
Além de esclarecer o funcionalismo, outro objetivo do balcão é disseminar a cultura previdenciária para sensibilizar os servidores ativos acerca dessas questões que se iniciam desde seu ingresso no serviço público. A meta é atender, até o final de 2014, todos os municípios baianos que sejam sede de Dires e Direc tenham sido contemplados com o balcão. 

Após tetracampeonato no Brasil, meia da Alemanha elogia: "jogamos pelos brasileiros"

Schweinsteiger enalteceu comportamento e receptividade dos brasileiros


O meia Bastian Schweinsteiger seguiu mostrando porquê os alemães foram tão idolatrados no Brasil. Após a partida que sacramentou o quarto título mundial da Alemanha, o jogador deu entrevista na zona mista do Maracanã e rasgou elogios aos brasileiros pela hospitalidade.

"O Brasil é uma grande nação do futebol, chegou às semifinais, e isso também é um sucesso. Os jogadores não estão felizes por terem perdido para nós e depois para a Holanda, mas para nós foi incrível, as pessoas foram tão legais, tiveram tanto respeito. Jogamos pelos brasileiros também. Jogamos por essas pessoas. Foi um torneio incrível, não por causa do título, mas pelas pessoas", disse.


O camisa 7 ainda disse ter visto o título também como a quitação de uma dívida pelas derrotas recentes. Assim como o Brasil, a Alemanha caiu nas semifinais na Copa de 2006 (ficou com a terceira colocação), quando disputava o torneio em casa. Além disso, os alemães foram vice-campeões em 2002 e terceiro colocado em 2010.

"Conseguimos. É uma loucura. Inacreditável. Tivemos grandes torneios no passado, e agora eliminamos a última dívida. É um sentimento incrível", pontuou.

Fonte: Ibahia.com

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Bons exemplos de Fair Play

O Fair Play é uma expressão do inglês que significa modo leal de agir.Os praticantes de todas as modalidades esportivas devem procurar se empenhar e disputar os jogos cumprindo as regras, sob pena de serem desclassificados, porém atualmente essa expressão é empregada em praticamente todos os segmentos da sociedade moderna, e toma o significado de trabalhar ou apresentar conduta de acordo com padrões éticos, sociais e morais. Segue vídeo com bons exemplos de fair play nos esportes.



CAIXAS ELETRÔNICOS SÃO EXPLODIDOS NO INTERIOR BAIANO

Banco (Foto: Fabiano do Santos/Site Binho Locutor)
AGÊNCIA EM PLANALTINO

Banco (Foto: Jean da Costa)
AGÊNCIA EM BIRITINGA

Dois caixas eletrônicos do Bradesco localizados no município de Planaltino, a cerca de 320 km de Salvador, na Bahia, foram explodidos por volta das 2h desta quarta-feira (8). A polícia informou que o grupo chegou à cidade em dois veículos e que a ação dos criminosos durou cerca de 20 minutos.

Já em Biritinga, a cerca de 190 km de Salvador, cerca de 10 bandidos explodiram os caixas eletrônicos do Banco do Brasil instalados no município. Ninguém se feriu. Os assaltantes fugiram após levarem o dinheiro dos caixas eletrônicos nos dois municípios. Não há informações sobre o valor da quantia levada. Até por volta das 9h30 ninguém havia sido preso.

FONTE: G1

CAIXA É EXPLODIDO EM ANGUERA PELA SEGUNDA VEZ

Menos de um mês instalado, caixa é explodido por bandidos
Depois de seis meses, o caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal foi explodido pela segunda vez na cidade de Anguera. A explosão aconteceu por volta das três horas da manha em uma ação rápida que não durou mais de 05 minutos, segundo relato de vizinhos. Houve duas explosões, a primeira com proporções maiores que a segunda
Estado em que ficou o caixa, totalmente destruído
É a segunda vez que o caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal é explodido, a primeira vez aconteceu no dia 04 de fevereiro, também por volta das três horas da manhã. Há dias que o caixa estava quebrado o que se imagina que não havia muito dinheiro.

Um fato curioso é que as duas explosões aconteceram no mesmo horário, três horas da manhã. Antes da explosão os bandidos fizeram uma ronda na cidade e ficaram de vigilância  na residência de um policial civil que estava com uma viatura na porta da casa. Após a explosão o veiculo bateu em retirada,  segundo informou o policia civil que 20 minutos depois recebeu mensagem pelo Whatsapp da explosão do caixa.

O novo caixa  fui instalado no canto para dificultar a ação dos bandidos
Estrategicamente o caixa dessa vez foi colocado de maneira diferente. Em um local que se imaginava que seria mais difícil a explosão, no canto de costa para a entrada do local de acesso. Não foi difícil a explosão porem não ocorreu risco para a residência vizinha que não teve a porta do caixa dessa vez voando em  sua direção.
Após a explosão curiosos foram verifica os estragos
Curiosos estiveram no local e ficaram espantados com o estrago em que ficou o caixa. Até o momento do fechamento dessa matéria (4 horas da manhã), os policias não tinha chegado no local. A distância do local do caixa da delegacia (70 metros) e da residência dos policias (100 metros), não intimidaram os bandidos que mais uma vez fugiram sem perseguição.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Quando o policial é insultado - Por Danilo Ferreira

Quando o policial é insultado
Ao se tornar policial o cidadão é promovido à condição de liderança comunitária: aquele que será responsável por influenciar pessoas e, consequentemente, ser alvo de críticas, reações e insultos. Quanto mais influenciador e maior o papel de liderança de um policial mais ele estará exposto a essas possibilidades. Daí segue a pergunta, feita pelo Coaching Silvio Celestino em recente artigo: “Você consegue ouvir um insulto sério sem explodir?“. Talvez esteja na discussão desse ponto a fórmula para evitar que policiais abusem da força: Se, em algum momento em sua carreira de líder, você se sentir insultado, seja bem-vindo à liderança! Líderes são insultados! É só você observar quem são as pessoas mais insultadas do planeta: juiz de futebol, gerentes, donos de empresas e, é claro, presidentes. Por que isso acontece? Ao liderar, você poderá, eventualmente, provocar emoções indesejáveis nas outras pessoas, como: ansiedade, frustração e raiva. Se isso ocorrer, o indivíduo, ou grupo de indivíduos, poderá querer expressar essa emoção de muitas formas, até mesmo com um insulto. Portanto, o primeiro elemento do cenário no qual a liderança é exercida é: a emoção das outras pessoas. Sua capacidade de lidar com esse contexto depende de como você lida com sua própria emoção. Ela é o segundo elemento desse cenário. Ser capaz de lidar com esses dois fatores requer preparo e experiência. Por essa razão que não é muito aconselhável a ascensão de pessoas imaturas a cargos de liderança. Elas irão se perder em meio a essas questões. Qualquer policial sabe bem o quanto em seu cotidiano (mesmo fora de serviço) é alvo de piadas, críticas (construtivas e destrutivas) e acusações. Quem se comporta como aquele que “não leva desaforo para casa” e não se coloca acima desses ataques acaba fazendo besteira. Da próxima vez que estiver lidando com algo assim considere seu papel de liderança. Isso pode salvar sua carreira!velocímetro

Fonte: Abordagem Policial

Artigo: Ilhéus, sinônimo de batalhas, conquistas e legados _ Por Marcos Vinícius*

Ilhéus, terra pseudo-descoberta mas já habitada e muito bem conservada, foi solo de conflitos que marcou sua trajetória de vida, como a revolta dos escravos do engenho de santana por volta de 1789 e o massacre do rio cururupe conhecido também como batalha dos nadadores entorno de 1559. Conflitos com cunho libertário e emancipatório de habitantes que com suas próprias mãos lutaram por dias melhores e a manutenção dos mesmos.
Conhecer o passado para ter melhor compreensão do presente se faz necessário para  trazer nitidez da necessidade de defesa de uma cidade, de um território e o sentimento de pertencimento a este município que a cada dia mais demonstra essa urgência nas atitudes de seus habitantes trás o passado como referencial.
Paralelo às comemorações, recebemos um chamado para a reflexão sobre a Ilhéus que herdamos e a que buscamos cotidianamente ser contribuintes do legado que deixaremos para os nossos sucessores. Queremos acreditar que sim, nossos legatários se recordarão das batalhas vitoriosas que esta geração travou em defesa da justiça, dos direitos urbanos, sociais e humanos que os que nos antecederam conquistaram (também para nós hoje, usufruir) em épocas coloniais, escravistas e coronelistas.
Que ainda muitos anos possamos comemorar por esta cidade sempre nos recordando que o maior legado que Ilhéus detêm é seu povo, sua historia e suas culturas.


PROJETO ESTUDANTES ESCRITORES
*Marcos Vinicius Vieira Reis é Ilheense, graduando em História pela Universidade Estadual de Santa Cruz, coordenador na Bahia da União dos Estudantes do Brasil e membro da Frente Ampla de Estudantes.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

COE da PMBA neutraliza artefato na BR-324

alt

A equipe Antibombas da Companhia de Operações Especiais (COE) do Batalhão de Polícia de Choque da PM neutralizou, na manhã desta segunda-feira (23), um artefato explosivo no Posto Caxias, localizado na BR-324.
 
O Batalhão de Choque foi acionado após criminosos terem assaltado o referido posto nesta madrugada e deixarem preso ao cofre um artefato explosivo. Após a neutralização do artefato, os policiais militares apresentaram o restante do explosivo ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) para a realização da perícia.

Reunião avalia ações da segurança pública durante os jogos da Copa

alt
Transcorreu durante esta manhã (20) no auditório do Quartel do Comando Geral da PMBA mais uma reunião de avaliação entre os diversos setores que integram o Comitê Executivo de Segurança Integrada Regional (CESIR). Durante o evento, que contou com as presenças do Vice Almirante da Marinha do Brasil, Paulo Caroli, do Secretário de Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, do Comandante Geral da PM, coronel Alfredo Braga de Castro, entre outros, cada órgão teve a oportunidade de pontuar as ações implementadas em suas respectivas pastas, bem assim, as medidas consideradas úteis para o aprimoramento do trabalho.
Na fala inicial dos trabalhos, o comandante geral destacou a evolução dos serviços desempenhados pela Corporação durante a Copa do Mundo Fifa 2014. Enfatizando o sucesso obtido pela tropa nas inúmeras missões a si confiadas, desde o deslocamento das delegações até a chegada dos espectadores ao estádio, sem esquecer a segurança proporcionada nos eventos correlatos, a exemplo da Fan Fest, ocasiões em que não foram registradas ocorrências de vulto graças a atuação da PM.
Durante o pronunciamento do Tenente Coronel Paulo Coutinho, comandante do Batalhão de Polícia de Choque, foi noticiada a chegada de um veículo blindado direcionado às atividades de Controle de Tumulto e Distúrbios Civis, o Centurion, com capacidade de transportar 21 policiais militares. O carro conta ainda com reservatório e canhão d´água para conter os manifestantes.
Finalizando, o secretário Maurício Barbosa reiterou a confiança no desempenho das instituições participantes, cujos resultados vêm sendo reconhecidos como de excelência na prestação de serviços em segurança pública, contribuindo para elevar o nome da Bahia em níveis nacional e internacional.

terça-feira, 17 de junho de 2014

PMs pagam táxi ao sair de serviço em protestos

Policiais militares sentados aguardando condução. Foto: O DIASó quem é policial militar sabe o quanto é desgastante um serviço de mais de 12 horas ininterruptas trabalhando na rua, como denunciaram policiais militares do Rio de Janeiro que atuaram em manifestações contra a Copa do Mundo e não tiveram sequer uma condução que os levasse de volta às suas unidades de origem. Segundo o Jornal O DIA, os policiais militares tiveram que pagar táxis para retornar para casa:
Rio - Policiais militares que acompanharam uma manifestação contra a Copa do Mundo, em Copacabana, nesta quinta-feira, precisaram pegar táxis para retornarem para o batalhão. Os PMs, inclusive alguns de batalhões de cidades do interior, aguardavam desde às 21h por ônibus da corporação que não foram os buscar.
Cansados de esperar, os militares esperavam sentados no chão, em frente ao Hotel Copacabana Palace. Eles aguardavam pela condução para os levarem para o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap), em Sulacap, na Zona Oeste. Alguns policiais viajaram de cidades como Itaperuna, Macaé e Campos dos Goytacazes, na manhã desta quinta-feira, para reforçar o policiamento e retornarão para suas cidades na madrugada de sexta-feira.
Para chegaram até o Cfap, os policiais pararam táxis e pagaram a corrida com recursos próprios. Eles contaram que trabalharam por mais de 14h em pé.
Se engana quem pensa que esse é apenas um grave desrespeito ao profissional e ser humano policial. É também um desmando que gera consequências imediatas na relação entre o policial e o cidadão. Fatos assim atingem o humor e a motivação do PM, que deixa de prestar o serviço que a sociedade exige. Será que alguém responderá por isso?
Fonte Abordagem Policial

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Cinco dicas para o Jornalismo Policial

Cinco dicas para jornalistas
Cursos de Jornalismo não costumam contemplar uma matéria específica sobre jornalismo policial em suas matrizes curriculares. O tema, no máximo, é passado em alguma disciplina superficialmente. Daí a razão de ocorrerem certos deslizes por parte dos profissionais que se arvoram a falar/escrever sobre o assunto sem tanta familiaridade. Por isso seguem cinco breves dicas que podem auxiliar uma escrita menos equivocada sobre o assunto.
 
Polícia? Que Polícia?
Não dá para anunciar alguma ação e atribuí-la genericamente à Polícia. Existem várias Polícias no país, as mais atuantes e que costumam motivar reportagens são a Militar, Civil, Federal ou Rodoviária. Por isso, nada de anunciar que “A Polícia fez isso, a Polícia disse aquilo…”; deixe bem claro, no início do anúncio, de qual instituição está se falando, para só então omitir o complemento que, como se vê, é essencial.
 
PM significa o quê?
A sigla PM representa tanto a instituição Polícia Militar quanto o profissional Policial Militar. Assim, uma manchete como “PM agride estuprador na rua” está dando margem à interpretação de que foi um ato institucional, quando pode ter sido a ação isolada de um integrante da corporação, muitas vezes de folga, sem farda… Enfim, é preciso deixar claro se a referência feita na abreviatura é à PM enquanto órgão ou o PM enquanto indivíduo.
 
Ex-PM? Esqueça isso!
Como visto acima, a atitude de um PM, por conta da sigla, às vezes acaba recaindo sobre toda tropa. Isso não pode acontecer com o ex-PM, que não devia ser assim identificado, afinal, um dia, há tempos atrás, ele foi policial militar, e hoje não é mais. Às vezes foi demitido por ter uma conduta criminosa logo no início da carreira, mas 30 anos depois ainda teimam em atribuir uma prática particular do elemento como algo vinculado à profissão que um dia exerceu. Será que, sendo preso um assaltante de banco que décadas atrás foi repórter por uns dias, alguém anunciaria que era um ex-jornalista praticando roubos?
 
Policial não mata.
Durante o seu serviço, o policial de qualquer corporação pode se deparar com criminosos violentos, que atacam a guarnição. A legítima defesa assegura ao policial, como a qualquer pessoa que esteja em risco atual ou iminente, a possibilidade de repelir a injusta agressão de modo proporcional. Se o bandido atira na equipe e ela reage, efetuando disparo de comprometimento, visando apenas neutralizar o oponente, e imediatamente presta socorro, como é o procedimento padrão, não fica evidenciada a intenção de matar. Seria mais adequado dizer que o bandido morreu após ser ferido em troca de tiros, mas não que o policial o matou, afinal quem alveja apenas uma vez e logo socorre, por exemplo, não parece desejar o resultado morte, mas apenas ferir de modo a tirar de combate o marginal.
 
Jovem? Menino? Garoto? Não…
O Estatuto da Criança e do Adolescente é bem claro em estabelecer o limite de 12 anos para a primeira e 18 para o segundo. Passou disso é homem, adulto. Por compaixão, afinidade, descuido ou qualquer outro sentimento, acabam por denominar como jovem um grande bandido de 25 anos, ou de menino um marginal experiente de 19, e até de garoto um delinquente contumaz com 17. Parafraseando os famosos versos de Falcão, considere apenas que homem é homem, adolescente é adolescente e criança é criança, na forma da lei.solução ejaculação precoce
 
Por Victor Fonseca - Blog Abordagem Policial

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Artigo: Uma reflexão sobre Violência - Por Francisco Moreira*

Nos últimos anos temos assistido a uma verdadeira ascensão de crimes violentos causados por motivos banais ou por questões que bem poderiam ter sido solucionadas de forma não violenta; são brigas de escola, namoros acabados, desavença entre vizinhos, ciúmes entre irmãos, ciúmes de filhos, acidentes de trânsito, relações sexuais prejudiciais, etc. Que acabam em homicídios muitas vezes com ares de execução somente vistos em filmes hollywoodianos, crimes que envergonham e ao mesmo tempo fazem a festa dos mais diversos meios de comunicação.

TVs, jornais, rádios, internet, todos aproveitam a ocorrência destes crimes para aumentar a audiência diária – sem se preocupar inclusive se estes passarão em meio à programação infantil – aproveitando-se do fato de que as pessoas parecem ter deixado de se surpreender com a notícia de mais uma chacina, de mais uma bala perdida ou execução; se o fato for cometido por alguém famoso ou que tenha potencial para chocar, a história toma ares de novela, com direito a torcida pelos “mocinhos” e execração pública dos “bandidos”. Com as redes de telejornais competindo para mostrar qualquer coisa exclusiva: uma confissão gravada em segredo ou um vídeo que mostre como ocorreu a tortura e a morte.

A verdade é que a população deixou de se sentir incomodada com notícias sobre violência, essa se banalizou de tal forma que passou a ser vista como uma história a ser contada, debatida como um jogo de final de copa e depois esquecida a espera do próximo escândalo, da próxima vítima, para recomeçar o ciclo. Virou esporte nacional enviar através de emails ou de aplicativos como o what’s up, fotos da mais nova chacina, do assassinato mais chocante, de corpos apodrecidos, de métodos de esquartejamento e ocultação de cadáveres, de violentos acidentes de veículos. Fotos que deveriam estar nos laudos de um inquérito policial, mas que se espalham com a rapidez que somente a internet pode proporcionar.

Muito se pergunta do porquê de nossa sociedade estar assim, terá sido a banalização da violência que a vem tornando insensível ou será o contrário? Será que em nome de nossos prazeres, de uma permissividade, de um maior egoísmo, que só nos leva a enxergar o próprio umbigo, temos nos transformado num povo que vive a vida sem observar a vida ao redor?

Dizem que somos um povo hospitaleiro e solidário, capaz de mobilizar inúmeros voluntários para arrecadar alimentos para vítimas da seca, de enchentes e até de tsunamis em lugares distantes do globo, mas ao mesmo tempo somos um povo que assiste impassível ao crescimento da violência, sem que isso nos incomode verdadeiramente, basta iniciar o intervalo comercial e esquecemos a indignação momentânea, que só volta quando vemos a chamada do telejornal; aí expomos nossas opiniões contra “esse absurdo” e rogamos “esse mundo está acabando”, “onde vamos parar meu Deus!”.

Nessa hora é que ideias mirabolantes, complicadas e muitas vezes absurdas começam a pipocar na mídia e na cabeça de muitos ditos especialistas (chega a ser engraçado ver nos meios de comunicação que qualquer um, menos o profissional formado em polícia, é especialista em segurança), ideias que geralmente tendem a criticar o que existe no nosso ordenamento legal, a ausência dos governos, a decadência da família, o descrédito religioso, etc.

Uma coisa, porém não é discutida quase nunca. A busca desenfreada por prazeres absolutos, sem contrariedades, sem limites, sem disciplina, sem valores fundamentais: A Igreja proíbe a camisinha, mas não fala sobre manutenção da virgindade, o Estado fala sobre cidadania, mas não toma medidas para educar a população, ONGs falam em educação, mas esquecem de que a disciplina faz parte dela. Queremos leis de primeiro mundo, leis e comportamentos de cidadãos conscientes, mas esquecemos de que comportamento não é determinado por legislação e que a cultura de um povo é burilada por seu progresso educacional e não por imposição.


Mas o artigo tá ficando muito longo... Voltamos a esse assunto depois.

*Francisco Moreira é oficial da PM, Bacharel (APM), e Especialista em Segurança Pública (UNEB) e também Especialista em Educação Ambiental (FACE). Coordenador do Centro Integrado de Comunicações – CICOM.

terça-feira, 10 de junho de 2014

Disque Denúncia amplia horário de atendimento durante a Copa do Mundo



Durante os meses de junho e julho, período da Copa do Mundo, o Disque Denúncia Bahia vai funcionar em horário especial. Desde ontem (9), a central, que atende nos telefones 3235-0000, em Salvador e Regiões Metropolitanas, e 181, para o interior da Bahia, está funcionando das 6h às 24h. O Disque Denúncia é um órgão a serviço da população e um canal direto do cidadão com a polícia para combate ao crime.
As denúncias feitas pela população são de extrema importância para que os órgãos policiais possam investigar e elucidar crimes e contravenções, localizar foragidos da justiça e reduzir o tráfico de drogas, maus tratos e violência contra crianças, adolescentes, mulheres e idosos. As informações fornecidas são sigilosas e o denunciante não precisa se identificar durante a ligação.
Todas as denúncias são encaminhadas para o órgão responsável pela investigação, que vai averiguar as informações e tomar as medidas cabíveis conforme a legislação brasileira.  Após realizar a denúncia o cidadão recebe um número de protocolo para acompanhamento dos resultados.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Polícia Militar recupera moto em Nova Ferradas


Uma guarnição da Polícia Militar recuperou na tarde desta segunda-feira(9) uma moto. O veículo, de placa JSR 7376, estava abandonado no bairro Sinval Palmeira. A motocicleta foi apresentada no Complexo Policial de Itabuna.

Fonte: Verdinho

Polícia Militar prende homem armado em forró no bairro de Fátima

Arlon Costa foi preso com um revólver calibre 32 na noite de domingo (8). A prisão foi realizada pela polícia militar no bairro de Fátima, em Itabuna, durante a festa "Forró dos bairros". A PM tem atuado nas edições do evento para evitar ações criminosas durante a festa que tem atraído a população.

O revólver estava municiado com seis cartuchos. A arma e Arlon foram levados ao Complexo Policial. Arlon informou que pretendia atirar em um rival na festa.

Fonte: Verdinho

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Aplicativo auxilia polícia baiana no combate ao crime



A população baiana já conta com um aplicativo para fazer denúncias contra criminosos e identificar procurados pela polícia. O Sistema de Informação para Proteção à Pessoa (SIPP), desenvolvido pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), oferece a possibilidade de identificar, por meio de fotografias ou vídeos, pessoas desaparecidas, procurados do Almanaque do DHPP, assaltantes de banco, fugitivos do sistema prisional, entre outros. 

De acordo com o diretor do DHPP, delegado Jorge Figueiredo, o aplicativo também auxilia a polícia a identificar criminosos que aparecem em vídeos, recuperados de câmeras instaladas próximas aos locais de crimes, além de traficantes e homicidas, em que a descrição e área de atuação são os únicos dados conhecidos. Inicialmente, o aplicativo pode ser baixado em qualquer celular que tenha acesso a internet por meio do endereço: http://app.vc/dhpp_ba. Em breve, o app estará disponível para qualquer celular com os sistemas operacionais IOS, Android, Java, Windows e Symbiam.

Apenas três funções disponíveis pelo SIPP estão restritas à utilização por profissionais da segurança pública - o Portal SSP (onde é possível consultar a ficha criminal e se há mandados de prisão em aberto), o Sicohnar, que reúne um banco de dados cruzando informações do DHPP e Departamento de Narcóticos (Denarc), e o Termômetro DHPP, onde constam estatísticas diárias sobre o registro de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), permitindo a identificação de áreas críticas e a aplicação de medidas operacionais.

Desde que foi lançado, no dia 21 de maio, sete mil downloads do aplicativo foram realizados. “Qualquer pessoa, de qualquer lugar do estado, poderá denunciar a localização de envolvidos em homicídios e assaltantes de banco. No aplicativo, a população tem acesso a fotos de homicidas e outros criminosos”, enfatizou o diretor do DHPP.

Segundo Figueiredo, inicialmente, o aplicativo dispõe de fotos de criminosos que atuam em Salvador e Região Metropolitana de Salvador (RMS), mas já está sendo realizado um levantamento dos criminosos mais procurados nos municípios baianos, principalmente os que cometeram assalto a banco e homicídios. Após este levantamento, as fotos estarão disponíveis no aplicativo. “Em pouco tempo de lançado, já recebemos diversas informações sobre criminosos procurados. Alguns só sabíamos o vulgo ou o primeiro nome. Não tínhamos fotos. Mas, por meio do aplicativo, passamos a receber informações sobre os criminosos e estamos investigando”, explica.

Câmara aprova a criação de novas polícias

O artigo 144 da Constituição Federal está prestes a mudar: foi aprovada, por unanimidade, no Senado Federal, a Proposta de Emenda Constitucional nº 77 de 2013, que adiciona a “manutenção da ordem pública e da incolumidade das pessoas” entre as atribuições dos Agentes de Trânsito. 

PEC nº 77

A PEC já foi aprovada na Câmara e agora está prestes a ser promulgada pelo Congresso Nacional. Algumas consequências diretas da medida: 

-  A tendência à conquista de porte de arma de fogo por parte dos Agentes de Trânsito;

- A atuação das agências de trânsito municipais como polícias - similar ao que faz a Polícia Rodoviária Federal – realizando inclusive abordagens e buscas pessoais; 

- A possibilidade de utilização da força em casos de protestos e manifestações em vias públicas. 

Mesmo que pareça um “reforço operacional” para as polícias, a medida é mais um remendo num sistema de segurança pública que carece de reforma sistêmica. Agora foi autorizado aos governos municipais (por menores que sejam) a criação de polícias sem sequer considerar algum pacto estadual para isso. 

Embora seja um avanço corporativo para os agentes de trânsito, a PEC bagunça ainda mais a estrutura da segurança no país. Vamos que vamos!emagrecer